CSS3

Chris Coyier, web designer que mantém o blog CSS-Tricks, escreveu em seu perfil no Twitter que o “CSS é como o xadrez. Você pode aprender os princípios básicos em um dia, e passar a vida inteira se especializando”. De fato, o CSS é a linguagem mais fácil de ser aprendida, possuindo uma sintaxe bem simples. Porém, criar páginas com layouts bem elaborados usando CSS, assim como conhecer todos os seus macetes, exige tempo e experiência.

A forma mais correta de desenvolvermos páginas para Web é dividindo a estrutura em três camadas: conteúdo (HTML), comportamento (Javascript) e apresentação (CSS). Trabalhando o CSS em uma camada separada do restante da estrutura, conseguimos uma melhor consistência visual, uma vez que os layouts de todas as páginas estarão baseados em uma mesma folha de estilos. Também ganhamos tempo e facilidade na hora de fazer um redesign ou manutenções visuais, pois a alteração de um único arquivo terá impacto em todo o site. Com o CSS em um arquivo separado, também conseguimos fornecer maior acessibilidade ao criar folhas de estilo específicas para diferentes dispositivos como sintetizadores de fala e som, aparelhos e impressoras em Braille, celulares e outros dispositivos móveis etc. O carregamento das páginas também será mais rápido, já que após o primeiro acesso ao site, o arquivo CSS estará carregado em cache.

Um bom exemplo de como o CSS pode ser poderoso quando bem usado é o CSS Zen Garden. O site fornece um modelo de página HTML para download, e diversos designers criam folhas de estilos para essa mesma página. O resultado pode ser visto na galeria: alterando apenas a folha de estilo, diferentes layouts são aplicados na mesma página HTML.

CSS ainda deixa a desejar

Hoje, designers e desenvolvedores ainda têm que se virar para conseguir certos efeitos gráficos. Por mais poderosa que a linguagem seja, a atual versão do CSS2.1 não fornece recursos como sombras em objetos e textos, cantos arredondados, múltiplas camadas de plano de fundo, opacidade, possibilidade de diferentes famílias tipográficas, colunas em textos, etc. O fato de navegadores mais antigos (e ainda utilizados) como o Internet Explorer 6, 7 e 8 não suportarem todos os recursos do CSS2.1 acaba complicando ainda mais a nossa vida.

Para conseguir tais efeitos e recursos nas páginas, normalmente recorremos ao uso de imagens, hacks, ou inserção excessiva de marcações HTML, o que pode aumentar o tempo de desenvolvimento e carregamento das páginas, além de comprometer a semântica dos documentos.

Com a nova versão da linguagem que está por vir, teremos maior controle sobre o estilo dos elementos. Propriedades para cantos arredondados ou sombras em textos estarão disponíveis no CSS3, sem precisarmos recorrer ao uso de truques ou imagens.

O que nos trará o CSS3?

Propriedades de CSS3 já são suportadas pelas versões mais recentes de alguns navegadores, como o Safari 4, Firefox 3.6 e o Chrome, Com isso podemos testar os novos recursos que estão por vir. Para que alguns dos novos recursos possam ser testados, é necessário adicionarmos os prefixos -moz- (para a renderização no Firefox) e -webkit- (para renderização no Safari).

A seguir, exemplos de algumas das novas propriedades que a nova versão da linguagem irá nos fornecer:

  • border-radius: com essa propriedade podemos adicionar um raio de arredondamento para todos os cantos de um elemento, como -moz-border-radius: 10px, ou valores diferentes para cada canto, como -moz-border-radius-topright: 5px.
  • text-shadow: permite adicionar sombras em textos, configurando a distância da sombra para a esquerda e para o topo do texto, o enevoamento e cor: text-shadow: 5px 5px 2px #999.
  • shadow: funciona da mesma maneira que o text-shadow, porém aplicando sombra aos outros elementos: -moz-box-shadow: -10px -10px 0px #333.
  • border-colors: podemos adicionar um efeito gradiente nas bordas de um elementos, aplicando cores em diferentes camadas: -moz-border-top-colors: #555 #666 #777 #888 #999 #aaa #bbb #ccc.
  • Opacity: podemos adicionar opacidade aos elementos: opacity: 0.2.
  • Columns: podemos definir estilos de colunas para textos, aplicando valores para a largura, quantidade, bordas de separação e distância entre colunas: -moz-column-width: 13em; -moz-column-count: 3; -moz-column-rule: 1px solid black; -moz-column-gap: 1em.
  • Multiple backgrounds: podemos definir diferentes planos de fundo para um mesmo elemento: background: url(fundo-um.jpg) top left no-repeat, url(fundo-dois.jpg) top 11px no-repeat, url(fundo-tres.jpg) bottom left no-repeat, url(fundo-quatro.jpg) left repeat-y.
  • @font-face: podemos definir uma tipografia diferenciada para os textos da página através da importação de um arquivo de fonte: @font-face { font-family: Agni; src: url(‘agni-font.otf’) }. Em seguida aplicamos essa fonte a um elemento de texto: h3 { font-family: Agni, sans-serif }.

O CSS3 ainda não deve ser usado definitivamente em suas páginas. A nova versão da linguagem ainda se encontra em fase de rascunho na W3c, e a maioria dos navegadores não fornece suporte. Porém é essencial que possamos conhecer e testar os novos recursos, descobrir aos poucos o que vem por aí, e nos preparar para o momento em que o CSS3 será lançado como uma recomendação em definitivo.

Vocês podem encontrar mais informações sobre o CSS3 no site http://www.css3.info/.


Texto original em:

http://imasters.uol.com.br/artigo/16315/css/ganhos_visuais_com_o_css3/

Publicado em Desenvolvimento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.